Ivan Ronald Huanca na Apdesp Informa #ed200

24 ANOS DE BRASIL, SONHOS E REALIZAÇÕES

Uma figura simpática, admirado por muitos e reverenciado por outros tantos. Ainda com seu sotaque carregado, o TPD e CD Ivan Ronald Huanca é o boliviano com alma de brasileiro guerreiro mais popular do nosso meio. Mais de duas décadas de Brasil, Ivan nos contou como foi essa escalada e os frutos de tamanha perseverança. Completando 10 anos de seu Centro de Treinamento montado aos poucos com conforto e requinte para seus colaboradores e alunos. 

Sócio proprietário junto com o TPD Ricardo Albino há sete anos, o OPEN LAB situado próximo à região da Avenida Paulista em São Paulo, é composto de 12 pessoas, se dedicando mais à prótese fixa metalocerâmica, e.max, zircônia, entre outros. Mesmo com uma agenda apertada entre clínica, cursos e viagens internacionais, Ivan verifica todos os trabalhos do laboratório junto ao Ricardo, e por serem uma equipe coesa é possível acompanhar tranquilamente a confecção dos trabalhos, embora todo o pessoal receba treinamento de capacitação, se mantendo organizada e motivada. A média de produção é de 4.800 elementos anuais, dos quais 50% é dissilicato de lítio (e.max), 30% metalocerâmica sobre dentes e sobre implantes, e o restante se divide entre feldspática e cerômero. Oferecendo também trabalhos sobre zircônia, mas somente em casos de estruturas em posteriores extensas, abutment’s e protocolos.

>>> Você ainda não é assinante da revista Apdesp Informa? – Então conheça os planos de assinatura aqui: http://bit.ly/RevistaApdespInforma <<<

Perguntado sobre o motivo do sucesso comercial do seu laboratório, Huanca diz que não existe uma resposta certa, muito menos um método para o sucesso, mas que existem oportunidades. A oportunidade que ele encontrou foi no atendimento como cliente VIP para com seus colegas dentistas que mandam trabalhos para o Open lab. “Cada um vai aproveitá-la de acordo com a sua vontade de crescer, mudar de vida e beneficiar a toda sua família e aqueles que vão se espelhar em seu sucesso” completou Ivan.

Ele e seu sócio Ricardo Albino investiram em melhorias da organização do laboratório, se espelhando em laboratórios de sucesso, laboratórios grandes, que funcionam como verdadeiras empresas inovadoras. Um exemplo é na entrada dos trabalhos, elaboração das próteses, saídas e entregas em tempo programado, aumentando a produtividade. “A falta de organização pode bloquear o desenvolvimento do trabalho e aumentar o estresse” afirmou Ricardo.

Ricardo é quem comanda a administração, já que a empresa está dividida em um consultório odontológico onde Ivan atende alguns pacientes, o Centro de Treinamento onde realiza os cursos e também onde a equipe do laboratório é treinada. Em outro conjunto anexo está o laboratório. No setor administrativo o prazo de entrega é de cinco dias úteis, e são realizadas por um motoqueiro com atendimento programado tornando o expediente mais eficiente. O fechamento é mensal de todos os trabalhos efetuados no mês, e seu sistema de cobrança implementado cuidadosamente, reduziu a inadimplência para 5%. “Eu acho que devemos acreditar mais em nós mesmos. Na verdade, se você acredita que sua empresa está passando por uma fase de desânimo, o ideal é fazer uma pesquisa de clima organizacional, descobrir as causas para esse descontentamento, tomar as medidas adequadas e tentar reverter este quadro, para que seus indicadores de produtividade mostrem as melhorias necessárias o quanto antes. Trabalhar com motivação, em equipe, isso levará seu time a produzir como nunca, e bater as metas de forma surpreendente” declarou Ivan.

Cidadão do mundo!

Ivan é uma pessoa que hoje faz parte do mundo. Viajou para 24 países no mundo todo, deu aulas em oito universidades Americanas, também em várias universidades de Europa e América Latina para alunos de pós-graduação em Dentística, Prótese e Reabilitação. Aproveitamos essa grande experiência de Ivan para perguntar a sua opinião sobre as diferenças que percebeu em relação à educação entre Brasil e outros países: “vejo que quase em todas as universidades as especializações, pós-graduações são de dois anos em tempo integral. No Brasil são de quatro a cinco dias por mês, no entanto a odontologia brasileira é considerada a melhor do mundo, e isso não sou eu quem digo, esse é o conceito que a odontologia brasileira tem no mundo. Por exemplo, eu fiz uma pós nos Estados Unidos e quando cheguei lá me perguntaram porque eu queria estudar nos Estados Unidos se a melhor odontologia estava no Brasil. Agora lá fora existem técnicos muito bons, mas no Brasil tem muito mais, e no que diz respeito ao ensino e didática, nossos dentistas e técnicos tem slides com aulas bem didáticas mostrando sequências passo a passo que dificilmente se vê com técnicos ou dentistas estrangeiros”.

APDESP Informa: Em que patamar técnico está a prótese brasileira? Se o patamar está bom, qual a contribuição de professores como você?

Ivan Huanca: A prótese brasileira está num nível altíssimo, com absoluta certeza e a odontologia em sim. Embora eu seja estrangeiro, tenho o coração brasileiro, e acho que devemos acreditar mais no Brasil, viajei por muitos países e vejo como a qualidade técnica e clínica é impressionante, técnicos brasileiros trabalhando e viajando no mundo todo pela qualidade da mão de obra e logicamente tudo está relacionado também com a quantidade de cursos e congressos que tem em vários estados, e muitos deles com a adesão de técnicos de outros países, se tem estrangeiros nos cursos e congressos é porque estão interessados em buscar conhecimentos e eles encontram no Brasil.

APDESP Informa: Como está o processo pedagógico/ensino pelas universidades pelo mundo?

Ivan Huanca: Tive a oportunidade de ministrar aulas em mais de 15 universidades no mundo todo, assim também de estudar e fazer cursos em universidades americanas, acredito que aqui no brasil se temos uma odontologia de primeiro nível é pela qualidade didática de ensino, de professores em especial em cursos de especialização, mestrado e doutorado.

APDESP Informa: O “IVAN RONALD DENTAL TRAINING CENTER” está completando 10 anos, como foi que começou tudo?

Ivan Huanca: Sim este ano comemoro os 10 anos do meu Centro de Treinamento, não foi fácil no início mas foi aqui onde comecei a ministrar os meus cursos em São Paulo. Lembro-me olhando fotos quando tudo começou onde faltavam muitas coisas, mas 10 anos depois o Centro de Treinamento está muito bem equipado onde recebemos alunos de vários países do mundo, professores reconhecidos mundialmente, e que pela primeira vez vieram à América Latina, os técnicos Jungo Endo, Hitoshi Ahoshima, Thomas Sing, Mr. Daisuke Fujino, Dr. Edward Mclaren, Dr. Johan Figueira, Dr. Cristian Coachman e para este ano, logo, logo estarei anunciando uma surpresa comemorando os 10 anos.

(E a entrevista continua … Leia a matéria completa na edição 200 da revista APDESP Informa).

>>> Ainda não é assinante? – Então conheça os planos de assinatura aqui: http://bit.ly/IvanRonaldHuanca ) <<<

-> Você encontra nesta edição:

  • CADERNO CIENTÍFICO – Incisivo central unitário: como transformar esse pesadelo em sonho
  • EU FAÇO ASSIM – A estética rosa com o sistema Ceramage Up para gengivas
  • SAÚDE PREVENTIVA – Biossegurança: pasta de pedra pomes
  • ADMINISTRAÇÃO E MARKETING – A lei do efeito reverso
  • GENTE DA PRÓTESE – Entre aparelhos e panelas
  • E MUITO MAIS!

Esta entrada foi publicada em Revista Apdesp Informa e marcada com a tag , , , , , , . Adicione o link permanente aos seus favoritos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *